Nascido na cidade de São José do Rio Preto (SP), veio para São Paulo aos 16 anos no dia 25 de outubro de 1958, ano da Copa do Mundo, data que conseguiu seu primeiro emprego.

E o destino fez com que trabalhasse como ajudante geral na Prastar S/A, empresa de plástico que atualmente é a sede de uma das garagens da Transwolff, que fica na Capela do Socorro.

Agenor de Abreu, 76 anos, motorista de ônibus da linha 6258-31 – Jd. Herculano – Jd. Ibirapuera. “Tudo que tenho hoje é por meio da Transwolff”, reconhece Abreu.

“É um grande orgulho, tinha uma criança que só viajava comigo”, conta orgulhoso.
Um dos filhos, Júnior, seguiu os passos do pai e dirige na mesma linha do pai. “Desde criança o admirava. Às vezes até faltava na escola para acompanhá-lo”, lembra com carinho das viagens que fez com o pai.

“A Transwolff pra mim é uma família”, afirma Abreu.

“Pra quem está começando agora, tem que respeitar o próximo, redobrara atenção ao volante, saber o que vai falar, se dar bem com os colegas de trabalho e tratar bem os passageiros”, dá dica Seu Agenor.