Durante os quatro dias de Carnaval (1º, 2, 3 e 4 de março), a Transwolff montou uma operação especial que envolveu 400 ônibus, 43 vans do Atende, 150 funcionários e toda equipe do Operacional, incluindo o CCO (Centro do Controle Operacional) para que seis escolas de samba saíssem dos seus barracões e chegassem ao Anhembi para desfilar.

Foram três escolas de samba do grupo especial, uma do Grupo de Acesso e duas do Grupo de Acesso 2 do carnaval da cidade de São Paulo: Império de Casa Verde, Dragões da Real, Mocidade Alegre, Camisa Verde e Branco, Estrela do Terceiro Milênio e Uirapuru da Mooca.

Durante os quatro dias de operação não houve nenhum incidente envolvendo os passistas. Um dos trajetos mais longos foi para levar e trazer passistas da escola de samba Estrela do Terceiro Milênio, escola de samba que desfilou no grupo de Acesso 2, que fica no Grajaú.

Luiz Carlos Efigênio Pacheco, presidente da Transwolff, diz que foi uma satisfação enorme a Liga das Escolas de Samba de São Paulo ter convidado a Transwolff para participar do Carnaval pelo terceiro ano consecutivo.

“Cada ano que passa a Transwolff ganha experiência e aprimora o serviço. Quero aproveitar a oportunidade para dar parabéns para nossa equipe que fez um excelente trabalho e para a escolas de samba de São Paulo que fizeram um ótimo Carnaval. E que venha 2020”, sustenta Pacheco.

A motorista do Atende Angélica Rodrigues dos Santos trabalhou pela primeira vez no transporte dos passistas. “Pra mim foi muito gratificante fazer parte da equipe. Foi maravilhoso”, disse.

Já o motorista Adalberto Costa de Araújo, que também trabalhou os quatro dias no transporte dos foliões pela primeira vez afirmou que foi uma experiência, no mínimo, espetacular.

“Foi muito prazeroso ter participado diretamente do Carnaval de São Paulo com a Transwolff”, disse.

A enfermeira Ivone Cristina Vansuri, que desfilou na ala “Cleópatra” da escola de samba Império de Casa Verde, foi uma das passistas transportadas pela Transwolff. Ela enalteceu a segurança.

“Foi muito importante, muito positivo. A gente não fica solta e é bem seguro”, elogiou.

Atende no Carnaval

Mais de 40 vans do Serviço Atende operadas pela Transwolff trabalharam durante o Carnaval em uma linha exclusiva criada pela prefeitura da estação Barra Funda para o Sambódromo para transportar os usuários do serviço.

Inclusive parte dos componentes cadeirantes da ala “Roda Vida” da escola Leandro de Itaquera foram transportados pela Transwolff. A escola foi a quinta a desfilar entre a noite deste domingo, dia 3, e madrugada desta segunda, 4, levou para o Sambódromo o enredo “Ubatuba: O reconto do caboclo sob a luz do luar”.

Ordem do transporte

Na sexta-feira, dia 1º, foi a vez da escola de samba Império de Casa Verde, escola de samba da zona norte de São Paulo.

No sábado, dia 2, foram as escolas e Dragões da Real e Mocidade Alegre.

No domingo, dia 3, foi a vez da escola de samba Camisa Verde e Branco que desfilou no Grupo de Acesso.

Na segunda, dia 4, foram transportadas as escolas de samba Estrela do Terceiro Milênio e Uirapuru da Mooca que desfilaram no Grupo de Acesso 2.