O muralista paulistano Eduardo Kobra leva para as ruas de São Paulo um dos seus maiores e mais planejados projetos. Na terça-feira, 27 de agosto, dia em que faz 44 anos de vida, ele começa a exposição itinerante “Galeria Circular” onde levará suas obras, entre originais e reproduções, até o dia 8 de setembro, sempre das 9h às 17h, a 13 lugares da Grande São Paulo, especialmente da periferia. Para a exposição, que celebra 30 anos de trabalho nas ruas da maior cidade do País, Kobra conta com um ônibus elétrico da Transwolff, que foi completamente adaptado para se transformar em uma galeria de arte. A exposição tem entrada franca.

“Sonhei com esse projeto durante três anos. Tem tudo a ver com as minhas origens. Tudo o que fiz ao redor do mundo devo a São Paulo. Em dez anos fiz apenas duas exposições, ambas no Exterior.

Agora, temos esse ônibus que virou uma galeria, onde posso levar meu trabalho de acordo com o objetivo maior da arte pública: possibilitar a todas as pessoas o acesso à arte”, conta Kobra, que tem murais realizados em 20 países, o primeiro feito em Londres, no Reino Unido, em 2011, na parede externa do importante centro cultural Roundhouse.

A chance para viabilizar o trabalho aconteceu quando Kobra conheceu a Transwolff. “Quando entrei em contato e disse que a ideia era levar às pessoas das comunidades o acesso à arte, eles tiveram uma visão de vanguarda e cederam imediatamente. Se não fosse pela sensibilidade, visão e parceria dos proprietários, esse projeto seria muito mais difícil”, diz o muralista, que acrescenta:

“Além disso, tiveram o cuidado de ceder um ônibus elétrico, novo, com acesso para cadeirantes, que não estava em circulação e que entrará em linha após a exposição, dentro do conceito de Frota Verde da empresa, o que também foi decisivo para mim, já que a defesa da ecologia é um dos pilares da minha atuação”.

O ônibus foi inteiramente transformado. Isso contempla iluminação, todas as paredes, piso, instalações, a instalação de um cineminha com telão de 2 metros de largura por 1,6 metros de altura, para a exibição de um inédito documentário sobre a trajetória de Kobra, e a preparação das obras para que ficassem adequadas ao tamanho e proporção do ônibus, em espaço estreito. Todo o ambiente de uma galeria de arte foi criado dentro do ônibus, o que levou à retirada provisória dos 26 bancos, entre várias outras alterações. Após a exposição, o ônibus voltará à configuração original e entrará em operação, provavelmente ainda em setembro, na linha 6030-10 Unisa-Terminal Santo Amaro.

Para visitar a exposição, as pessoas vão entrar pela porta dianteira do ônibus e caminhar pelas obras, feitas no Brasil e no Exterior. Dentro do ônibus, haverá guias e informações sobre cada obra, onde também são destacadas as histórias sobre o que está por trás de alguns dos trabalhos. Na parte externa, foram colocadas partes do mural “Etnias’, criado em 2016 para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, e que entrou para o Livro dos Recordes – Guinness World Records – superado mais tarde por um outro mural, também de Kobra, feito na rodovia Castelo Branco, em Itapevi, na Grande São Paulo, no muro da empresa Cacau Show.

Para a transformação do ônibus, Kobra contou com o apoio do escritório de Arquitetura Hornos Morillon, do arquiteto Douglas Morillon e do engenheiro Felipe Hornos. “Desde o princípio foram essenciais, por entenderem o propósito do projeto. Acabaram voluntariamente participando da ação, ajudaram em toda a concepção do interior do ônibus e na sua transformação em uma galeria.

Chegaram a mudar seu escritório durante três dias para a garagem da empresa de transporte, no bairro do Socorro, na Zona Sul! Na minha opinião ficou perfeito. Parece mesmo uma galeria”, relata.
Kobra também faz questão de destacar a Dionísio.Ag, agência especializada em arte, que participou da logística, ajudando no contato com os fornecedores “e na programação para que tudo chegasse nos prazos corretos”.

Respeitando as suas raízes, o famoso artista urbano brasileiro fez questão de começar o projeto no bairro onde viveu toda a infância: Campo Limpo. A estreia será no Projeto Arrastão. Ainda na zona sul, a exposição itinerante terá paradas na Vila São José, região do Grajaú, e no Jardim Noronha.

“Esperamos chegar a muitas pessoas com esse projeto. Nosso maior objetivo é levar a arte às pessoas que na maioria das vezes nunca entraram em uma galeria. É algo que devo a esta Cidade que amo, que foi e que permanece a base de toda a minha trajetória e para toda a minha inspiração”, diz o muralista, que já em setembro parte para a Itália para pintar no autódromo de Ímola uma obra sobre Ayrton Senna (21 de março de 1960 a 1º. de maio de 1994). O piloto brasileiro é uma das grandes referências de Kobra, que tem convite para pintar em mais de 40 países em 2019.

Em Ímola, o mural será feito em uma região próxima ao grid de largada, na fachada do museu Checco Costa, no lado interno do autódromo, com cerca de 100 metros quadrados, que perderá a atual cor vermelha para receber os desenhos e cores do conhecido artista brasileiro. Embora não receba mais GPs da F-1, o Circuito de Ímola é o palco de inúmeras provas de diversas categorias automobilísticas, além de também atrair muitos turistas, especialmente japoneses e brasileiros, que procuram reverenciar o ídolo. “É certamente a pessoa que mais pintei em minha vida. Foram cerca de 10 murais de pequeno, médio e grade porte, além de uma tela. “Senna transformou o ato de dirigir carros de corrida em, além de um esporte, uma verdadeira arte, que encantava a todos”, diz Kobra, que acrescenta: “Em todos os murais que faço no mundo pinto a bandeira do Brasil, o que é influência direta do orgulho que Ayrton Senna tinha de carregar a bandeira brasileira após as provas”.

Exposição itinerante “Galeria Circular”, de Eduardo Kobra

Dia 27 de agosto, terça-feira,
Onde – Campo Limpo (Zona Sul), Projeto Arrastão, à rua Dr. Joviano Pacheco de Aguirre, 255, com apresentação do grupo de percussão “Arrasta Lata” às 13h30.

Dia 28 de agosto, quarta-feira
Onde: Grajaú (Zona Sul), à Praça José Boemer Roschel, na esq. da av. Carlos Oberhuber com rua Rubem Souto de Araújo, na Vila São José;

Dia 29 de agosto – quinta-feira.
Onde: Paraisópolis (Zona Sul), no CEU Paraisópolis, à rua Dr. José Augusto de Souza e Silva, s/n, com apresentação do Balé de Paraisópolis, às 14h.

Dia 30 de agosto, sexta-feira
Onde: em Diadema, à Praça da Moça, no Centro

Dia 31 de agosto, sábado
Onde: Itaquera (Zona Leste), no Parque do Carmo, à av. Afonso de Sampaio e Souza, 951

Dia 1º. de setembro, domingo
Onde: Vila Madalena (Zona Oeste), à rua Medeiros de Albuquerque, 270;

Dia 2 de setembro, segunda-feira
Onde: Vila Guilherme (Zonas Norte), no Parque do Trote, à av. Nadir Dias de Figueiredo, s/n

Dia 3 de setembro, terça-feira
Onde: Brasilândia (Zona Norte), na Fábrica de Cultura Brasilândia, à av. General Penha Brasil, 2.508

Dia 4 de setembro, quarta-feira
Onde: Heliópolis (Zona Sul), CEU Heliópolis, à Estrada das Lágrimas, 2.385, com apresentação de RAP, em horário ainda indefinido;

Dia 5 de setembro, quinta-feira
Onde: Cidade Tiradentes (Zona Leste), Creche Nossa Senhora do Divino Pranto, à av. dos Metalúrgicos, 1.899

Dia 6 de setembro, sexta-feira
Onde: Jardim Noronha (Zona Sul), no Campo de Futebol, à rua Três Corações, à altura do número 874, no ponto final da linha Jd. Porto Velho

Dia 7 de setembro, sábado
Onde: Bom Retiro (Centro), no Projeto Novos Sonhos, à Al. Cleveland, 484, com apresentação da Companhia Infantil e Juvenil Novos Sonhos, com música clássica e percussão, respectivamente, a partir das 13h30

Dia 8 de setembro, domingo
Onde: av. Paulista (Paraíso), à Praça Osvaldo Cruz, em frente ao Japan House, esquina com rua 13 de Maio